Concentração e focus

Concentração é a flecha.
Meditação é o arco.

Mantendo todo o nosso foco em uma única coisa, damos à essa coisa a nossa energia. Essa energia então, se manifesta no nível físico. Bem, se tivermos sucesso na concentração. Como em tudo, temos que praticar. E embora possamos alcançar um certo nível de concentração, temos que nos manter trabalhando nisso ou a perderemos novamente. Você pode ter notado que os desportistas fazem exercícios de concentração como parte do treino. Mas essa habilidade é importante para cada um de nós também: senão, fica muito difícil alcançar qualquer coisa na vida. Não importa se somos atletas profissionais ou se passamos a maior parte do tempo no escritório. Se formos capazes de nos focar em um único pensamento, ele por fim, se tornará uma ação e essa ação se tornará realidade. O próprio pensamento é uma realidade por si, mas ainda não é uma realidade manifestada. Isso nós alcançamos, dando a nossa energia e dando a ele uma chance de transformá-lo em realidade total.

A concentração não deve ser forçada. Não podemos alcançá-la empurrando a nós mesmos. Concentração não significa que a nossa mente esteja completamente vazia de pensamentos (exceto para aquele no qual estamos nos focando). De fato, isso é um estado mental muito elevado (ou de consciência) e não é fácil alcançá-lo. O que podemos alcançar, no entanto, é não sermos afetados por nossos pensamentos. Deixamos que eles fluam através da nossa mente, mas não deixamos que eles capturem a nossa atenção. Podemos atingir isso pela prática regular da concentração.

Imagine por exemplo, que você está posicionado na largada de uma corrida de 100 metros. A única coisa em que temos que pensar nesse momento é, largar exatamente no momento certo. Não a milésimos de segundo mais cedo ou mais tarde. Mas as condições ao nosso redor podem não ser ideais para isso. As pessoas estão nos olhando, estamos notando os outros competidores, nosso corpo. Há inúmeros pensamentos cruzando a mente: o que os outros corredores estão pensando; meus tênis estão bem amarrados; não irei cair após a largada; o que eu comi no café da manhã. Afastar-nos rapidamente deles, é quase impossível, mas podemos aprender simplesmente, como não lhes dar a chance de capturar a nossa atenção. Todos os atletas de ponta são capazes de fazer isso e não há razão para que qualquer um não seja capaz de aprender também. Tentaremos lhes ensinar isso, mas nossas aulas de meditação, como uma das primeiras coisas.

 

JOIN OUR FREE CLASSES

Da concentração á meditação

A concentração por si pode operar milagres nas nossas vidas. Mas provavelmente estamos mais interessados em como usá-la em nossa meditação. Muitas pessoas confundem meditação e concentração. Na realidade, a concentração é apenas um passo necessário para a meditação. Antes de meditarmos, nos concentramos para controlar e acalmar a nossa mente. Após um período nós liberamos a concentração e tentamos perceber o nosso ser interior. Nesse momento começa a meditação. Acontece espontaneamente, dentro do nosso coração.

Vamos encerrar, com um exercício de concentração. Usaremos a nossa respiração como um ponto de concentração, pois a atividade dos pensamentos está muito conectada com a respiração.

Talvez a forma mais fácil de nos concentrar é focar na nossa respiração. Nós a temos sempre conosco e não precisamos de mais nada. Nós sempre inspiramos e expiramos pelo nariz devagar e profundamente.  Nossos olhos podem estar fechados ou ligeiramente abertos. Antes de cada inspiração e expiração, tentamos focar nossa mente dentro de nós mesmos. No início, vamos perder nosso foco muito rápido, mas não devemos nos perturbar por isso. Simplesmente voltaremos de novo e de novo, com cada inspiração e expiração. Tudo bem perder o foco, mas é importante seguir voltando ao exercício e não desistir. Após alguns minutos, não perderemos tanto o foco. Para facilitar, poderemos repetir “inspiração
“ ao inspirar e “expiração” ao expirar ou podemos repetir qualquer mantra que gostarmos, como o Aum.